PLANEJAMENTO FAMILIAR

Oferecemos às mulheres orientação quanto a anticoncepção. Trabalhamos com métodos hormonais e não-hormonais, definitivos ou temporários. A escolha do método é feita pela mulher ou pelo casal, após explicação sobre as várias alternativas possíveis, considerando a situação individual de cada um.

O método contraceptivo ideal deve aliar alta eficácia, segurança, facilidade de uso, boa tolerabilidade e reversibilidade completa. Infelizmente o método ideal não existe, sendo que cada tipo de método possui desvantagens em um ou mais dos pontos citados.

Nosso papel é oferecer os métodos e orientar as características de cada um, com atenção especial às situações em que determinados métodos sejam contra-indicados. As crenças, costumes e estilo de vida de cada mulher influenciam no tipo de método que cada uma acredita ser o mais adequado, sendo a escolha final do método um direito de cada paciente.


CONTRACEPTIVOS REVERSÍVEIS DE LONGA DURAÇÃO

(Os nomes comerciais mencionados a seguir referem-se à única apresentação comercial disponível no Brasil para os respectivos tipos de método relatados, tendo sido citados para melhor compreensão pelos leitores)

Oferecemos às mulheres de Franca e região todas as opções disponíveis no mercado brasileiro dos Contraceptivos Reversíveis de Longa Duração. São métodos eficazes e seguros, que após sua inserção permanecem ativos por vários anos, sendo totalmente reversíveis quando retirados.

Dispositivo Intra Uterino (DIU)

Consiste em uma pequena haste plástica em formato de "T" com menos de 4 cm de comprimento, colocado dentro do útero. Sua presença leva a modificações no ambiente interno do útero que interferem na capacidade de óvulos e espermatozóides gerarem embriões viáveis. Em geral o DIU não interfere na ovulação ou no ciclo hormonal. O DIU permanece eficaz dentro do útero durante 5 a 10 anos, dependendo do tipo do DIU. Caso a mulher deseje, o DIU pode ser retirado a qualquer momento, sendo que seu efeito cessa assim que retirado.

A maioria das mulheres, inclusive aquelas que nunca engravidaram ou aquelas que amamentam, podem usar o DIU. As principais contraindicações ao uso do DIU são alterações anatômicas da cavidade uterina, sangramento uterino de causa não investigada ou tumores malignos do útero. Durante a consulta médica são avaliadas outras possíveis contraindicações ao uso do DIU.

Existem basicamente dois tipos de DIU:

  • DIU de cobre: contém um filamento de cobre enrolado na haste plástica; existe em vários tamanhos e modelos, alguns associados à prata, sendo a principal diferença o tempo de ação (entre 5 e 10 anos); a eficácia e o perfil de efeitos colaterais (principalmente aumento de fluxo e cólicas durante a menstruação) são semelhantes; não interfere no ciclo menstrual e não possui qualquer tipo de ação hormonal
  • DIU hormonal (Mirena): libera medicamento derivado de progesterona em pequena quantidade, o qual age basicamente dentro do útero; em geral as usuárias desse tipo de DIU ficam sem menstruar, sendo uma ótima opção para quem tem fluxo menstrual intenso ou com muitas cólicas; algumas mulheres permanecem com sangramento que pode ser regular ou irregular, mas com volume diminuído

O DIU deve ser inserido por médico com treinamento específico. Pode ser colocado rapidamente no consultório.


Implante Hormonal (Implanon)

Consiste em pequeno bastão de plástico de cerca de 4 cm de comprimento que libera quantidade controlada de medicamento derivado de progesterona. É eficaz em prevenir gravidez durante 3 anos, sendo seu principal mecanismo de ação o bloqueio da ovulação (assim como os anticoncepcionais em comprimidos e injetáveis) e também alterações no útero que impedem a chegada dos espermatozóides. Sendo um método que bloqueia a ovulação, auxilia na redução de sintomas pré menstruais. Também reduz fluxo e cólicas menstruais na maioria das usuárias.

A maioria das mulheres pode usar o Implante Hormonal, inclusive aquelas que amamentam ou que nunca tiveram filhos. As principais contraindicações são a presença de sangramento uterino de origem não investigada, alguns tipos de tumores malignos, alguns tipos de problemas hepáticos e algumas situações que envolvem risco aumentado de trombose. No entanto, mesmo em algumas dessas situações, os benefícios do uso do Implante Hormonal podem superar os riscos. A consulta médica é fundamental para avaliar a indicação do método.

O Implante Hormonal é colocado na pele por médico com treinamento específico, com anestesia local, sendo um procedimento rápido que pode ser feito no consultório.